Pular navegação

Tag Archives: brasília

Quem comete corrupção, corrompe, torna podre, é corrupto. Portanto o Ministro da Cultura, Juca Ferreira também é corrupto.  Assinar um projeto de cento e oitenta mil reais, utilizando-se de dinheiro público para ensinar drags queens a se maquiar é corromper o uso do dinheiro público.  Desde quando a maquiagem de um drag queen é cultura? Sonho com o dia em que um homem público de caráter (caso raríssimo nos dias de hoje) resolva vasculhar o submundo das Ongs, o caso do Arruda passará para a lista das piadas de caserna.  E pensar que em tempos anteriores um Ministro era escolhido “a dedo” hein!, hoje escolhe-se com um “tapinha” nas costas.

Anúncios

O que diferencia o caso do mensalinho de Brasília do aumento de salário proposto ao Prefeito de São Paulo que dos atuais R$ 12.384,06 passará a R$ 23.194,25 é apenas o ponto de vista.  Em ambos os casos o contribuinte está sendo furtado.  Do ponto de vista legal, se confirmadas as acusações, o Governador de Brasília e os outros quadrilheiros estariam inclusos no código penal brasileiro, enquanto que sendo aceito o aumento do salário do Prefeito Kassab, estariam apenas oficializando um furto ao contribuinte, chamado vulgarmente de peculato, crime com previsão legal que só termina em imputação de pena ao acusado quando o mesmo é do baixo escalão.

A nossa maneira de ser, talvez por nosso imenso coração bondoso, que se comove com quaisquer palavras, que por uma democracia forte pensamos em ser grande de repente, e simplesmente confiamos.  Esta é a melhor definição que tenho para explicar por que criamos tantos Sarneys.  Eles se acostumam com o poder, eles enriquecem com o poder, eles nos abandonam pelo poder.  Quantos são os políticos que estão há anos em cargos públicos e ano a ano temos denúncias atrás de denúncias e nada acontece, eles até são reeleitos! Agora outro tumor fétido que estava entranhado no seio do Senado e que nossos olhos jamais veriam abriu-se e está à mostra. A sindicância do Ministério Público e Tribunal de Contas levarão tudo e todos a um mesmo fim: A nossa incrível mania de esquecer.