Pular navegação

Tag Archives: Enchentes

Moro em São Paulo e após a longa chuva que caiu noite adentro, logo ao amanhecer vejo a Serra da Cantareira ao longe, límpida, verdejante, o ar fresco com aquele cheiro de grama úmida, é a natureza em destaque. Mas o homem a culpa pelas desgraças, até pelas mais de 700 pessoas mortas no Rio de Janeiro. “Aquele morro não deveria ter caído” disse uma das vítimas, mas o morro caiu e caindo não esperava ele encontrar pessoas em seu caminho natural.  “Choveu em um dia o que era esperado em um ano” disse outro… Quem disse que é assim que funciona? O homem… Será mesmo que o homem acredita que pode superar a natureza? Ele pode e a está destruindo, mas vertiginosamente ela está se recompondo e voltando a ser a natureza como no início, sem a ajuda das ONGs dos homens, é claro!

Anúncios

Quero parabenizar a toda imprensa brasileira pela destreza, apoio, coragem, dinamismo, audácia e, sobretudo a solidariedade, dotes que nestes profissionais se sobressaem, enquanto eles estavam em meio aos destroços, ajudando com suas mãos, com helicópteros, com suas câmeras, com seus ombros, as Forças Armadas Brasileiras, de quem esperávamos tudo isso estava parada nas filas da burocracia, esperando quem sabe, uma assinatura vulgar, pois creio que assim eles consideram as centenas de vítimas do Rio de Janeiro, que para o Governo, são apenas números, estatísticas, que decerto repetir-se-ão ao longo de mais alguns anos.

Em algumas ocasiões de nossas vidas deparamos com problemas onde as soluções apresentadas são derrubadas em questões de minutos por uma situação adversa, como foi o caso do rebaixamento da calha do Rio Tietê e dos piscinões.  Ficou provado neste quase cinqüenta dias de chuvas sobre a cidade São Paulo que a solução foi literalmente por água abaixo.  A única e definitiva solução para este problema seria transformar o leito do rio Tietê na parte que abrange a região que corta a cidade em uma imensa “tábua de pirulito”, perfurando-se a cada duzentos metros cacimbões de vinte metros de diâmetro por vinte de profundidade.