Pular navegação

Tag Archives: Fernando Haddad

Na Praça da Sé em São Paulo o crime corre à torto e à direita, vendem-se desde Passaporte, RG, CPF, Carteira de Habilitação, Diploma de Universidades até CD´s com dados pessoais de todas as autoridades brasileiras, havia um Posto da Polícia Militar… Havia, foi tirado.  A Cracolândia do Governador Alckmin e do Prefeito Haddad, sim, deles, está crescendo a cada dia, e protegida pela Guarda Civil Metropolitana.  Lá está funcionando de vento em pôpa o comércio de crack, cocaína, heroína, maconha e lá estão os traficantes nacionais e internacionais para quem quiser ver… É o governo do PSDB? Do PT? Não! É a falta de coragem dos homens públicos deste País que tanto aqui como no Rio de Janeiro, Recife, Alagoas e outras cidades borram as calças quando saem de seus carros blindados e se distanciam de seus seguranças. E a população… A população que se exploda!

 

Em entrevista na sede da Secretaria da Segurança Pública (SSP) o delegado geral, Maurício Blazek, comemorou o trabalho que culminou com a captura do trio acusado da morte da dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza. “Eu havia dito que era questão de honra [achar os autores do homicídio].”, disse ainda que os detidos confessaram o crime concluindo, “O caso da Cinthya está findado.” A família dela também Dr. Blazek.  Agora a frase “questão de honra” virou moda, é o governador, delegados, prefeito, todos dizem isto depois que mais um crime terrível acontece e o número de questões de honra resolvidas cresce a cada dia não é? Mais um “adolescente” de 17 anos assume a culpa de um bárbaro crime, e nós nos perguntamos até quando eles fornecerão crimes onde para vocês será uma questão de honra encontrá-los.  Questão de honra para vocês, questão de desonra para nós, pois não podemos proteger nossas famílias tão bem como os senhores protegem as suas, às nossas custas, claro.

São Paulo tem recorde de eleitores sem candidato, o índice é o maior da história para o período. Fato: Três eram os candidatos no primeiro turno, um inoperante, um incompetente e um inexperiente.  Um deles, o inexperiente ficou fora. O Governo do Estado diz que a facção criminosa é lenda.  A polícia civil, a militar e a guarda civil está morrendo aos poucos, seja por tiro ou pelo salário miserável. O paulista e paulistano querem uma solução, e pelo jeito neste século nada vai acontecer. Ainda bem que com o Telhada e o Conte podemos contar (desculpe-me pelo trocadilho). Mas, espere, há uma luz no fim do túnel, em Brasília descobriram que a violência está aumentando e a força nacional de segurança ficará por lá durante noventa dias. Em Brasília? Sim, lá em Brasília, afinal de contas, lá é Brasília e o resto é Brasil. Enquanto lá a cidade está urbanizada, no resto do Brasil está urbandidada.

A presidente Dilma Rousseff foi convencida pela coordenação da campanha de Fernando Haddad (PT-SP) a mudar a data do comício em São Paulo em que ela aparecerá ao lado do candidato porque o evento ocorreria no mesmo dia e horário do capítulo final da novela “Avenida Brasil”, da TV Globo.  Custou-me muito acreditar nesta notícia, uma mulher que foi considerada uma das mais influentes e poderosas do mundo descer a um nível tão sofrível como este.  Vou fazer com que esta minha carta até a Julia Gillard (Austrália), Cristina Kirchner (Argentina), Sheikh Hasina (Bangladesh), Laura Chinchilla (Costa Rica), Jadranka Kosor (Croácia), Tarja Halonen (Finlândia), Johanna Sigurdardottir (Islândia), Pratibha Devisingh Patil (Índia), Mary McAleese (Irlanda), Roza Otunbayeva (Quirguistão), Ellen Johnson Sirleaf (Libéria), Dalia Grybauskaitè (Lituânia), Iveta Radicová (Eslováquia), Doris Leuthard (Suíça) e Kamla Persad-Bissessar (Trinidad e Tobago).  Quero com isto levantar o moral delas e dizer que o título de terceira mulher mais influente do mundo outorgado à Dilma pela revista Forbes não passou mesmo de uma piada.

Fernando Haddad

Sr. presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante, li seus comentários a respeito da ausência do ministro da Educação, Fernando Haddad, na 21ª Conferência Nacional dos Advogados, em Curitiba (PR), onde iria palestrar sobre os instrumentos de avaliação do ensino no painel “Direito Social à Educação”.  Faria bem a todos saber que a permanência do Fernando Haddad no Ministério da Educação é apenas para mantê-lo em evidência para que ele possa “crescer na política”, apenas isso, pouco ele está se lixando para a Educação neste País.  Falar que o Brasil tem Ministro da Educação virou uma piada como aquela que circulava tempos atrás sobre o Paraguai ter Ministro da Marinha…

O Ministério da Educação gastou R$ 14 milhões para distribuir material didático com erros de matemática a 37 mil escolas de educação no campo no ano passado. Nele se aprende, por exemplo, que 10-7=4 e que 16-8=6. Até quando? Errar é humano, mas permanecer no erro é burrice. Pergunto-me se a permanência do Haddad à frente do Ministério da Educação é apenas para ele adquirir experiência, pois pelos acontecimentos absurdos que já se tornaram corriqueiros em sua pasta ele deve ter amigo com “costas quentes” no Planalto. Para qualquer empresário da área privada ele já mostrou que não tem competência para exercer o cargo e já teria “rodado” há muito tempo.