Pular navegação

Tag Archives: Segurança Pública

São Paulo, São Mateus, Somos Todos Iguais.  Calma, não se trata de um sermão, mas de um desabafo.  Assistimos ontem ao vivo pela TV um “protesto” aqui em São Paulo, no bairro de São Mateus na Travessa Somos Todos Iguais.  Vimos um punhado de policiais militares jogando bombinhas de fumaça contra os delinqüentes mascarados, que revidavam com rojões, pedras e até um caminhão betoneira foi usado para intimidar os policiais.  Até onde assisti três veículos foram incendiados, um motoqueiro foi espancado e assaltado ao vivo e a cores. Pasmado, sentado ao sofá, vi que depois de mais de uma hora e meia de transmissão, quando os mascarados tinham conseguido seu intento chegou a “infantaria”, tropa de choque, BOPE, Swatt, CSI, NSA, acredito que o Papa também estava a caminho.  Lerdeza, covardia ou simplesmente medo? O que leva o comandante das forças públicas a assistir passivamente um levante daquele onde a população está acuada e a bandidagem rola solto? Onde o bem público é saqueado e o particular destroçado? As imagens de ontem, senhor Governador, mostram a todos (inclusive aos bandidos) que sua política de segurança pública é um verdadeiro fiasco.

Anúncios

 

Em entrevista na sede da Secretaria da Segurança Pública (SSP) o delegado geral, Maurício Blazek, comemorou o trabalho que culminou com a captura do trio acusado da morte da dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza. “Eu havia dito que era questão de honra [achar os autores do homicídio].”, disse ainda que os detidos confessaram o crime concluindo, “O caso da Cinthya está findado.” A família dela também Dr. Blazek.  Agora a frase “questão de honra” virou moda, é o governador, delegados, prefeito, todos dizem isto depois que mais um crime terrível acontece e o número de questões de honra resolvidas cresce a cada dia não é? Mais um “adolescente” de 17 anos assume a culpa de um bárbaro crime, e nós nos perguntamos até quando eles fornecerão crimes onde para vocês será uma questão de honra encontrá-los.  Questão de honra para vocês, questão de desonra para nós, pois não podemos proteger nossas famílias tão bem como os senhores protegem as suas, às nossas custas, claro.

O vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif Domingos, pediu “tolerância zero” e declarou que o Estado vive uma “epidemia de insegurança” após sua filha ser vítima de uma tentativa de assalto no bairro do Morumbi.  Senhor vice-governador, esta solicitação não é sua, mas sim de toda a população de bem deste país, pois desde que assinamos aquele maldito referendo das armas, todos os bandidos estão armados até os dentes e com a mais absoluta certeza de que não encontrarão resistência alguma às suas ações, visto que até a polícia tem sido caçada pelos bandidos. Agora eles enveredaram para as autoridades, são delegados, juízes, deputados, vereadores, todos estão sendo atacados e até mortos! A Juíza Patrícia Acioli do Rio de Janeiro foi morta com 21 tiros! Até onde chegaremos senhor? A polícia e o judiciário já estão desmoralizados, nós estamos encurralados, encarcerados, amedrontados, até onde senhor chegaremos até que uma providência seja tomada?  Qual o limite? O Planalto?

Dilma, leia o texto a seguir e te coça, planta bananeira, faz pirueta, faz careta, esperneia, mas não fica parada, vê se faz alguma coisa (já que os homens do planalto não servem prá nada)… “O Setor de Inteligência da Polícia Militar de São Paulo mapeou 116 integrantes do PCC que moram ou atuam na Zona Leste da capital. Os criminosos são considerados de alta periculosidade e circulam livremente pela cidade. Segundo o Ministério Público, os membros da facção criminosa já estiveram presos, mas foram beneficiados por saídas temporárias e não retornaram à prisão. Entre eles estão traficantes, assaltantes, homicidas e sequestradores”.

Dois homens em uma moto assaltaram, mataram… Um homem dirigindo embriagado atropelou e matou… O ex-marido matou com vários tiros a ex-esposa… Uma quadrilha invadiu um condomínio e promoveu um arrastão… Uma pessoa foi morta após sair do banco… Ao parar no sinal levou um tiro… Os Jornais de amanhã não terão tanto trabalho assim, pois os títulos das matérias das páginas policiais já estão todos montados, basta só acrescentar o nome das possíveis vítimas.  E o Estado que, enquanto sociedade nós o constituímos para nos proteger, devora-se a si mesmo sucumbindo na corrupção, no nepotismo, no corporativismo e a maioria de nós, pasmados, atônitos, assistimos de braços cruzados o fim de nossos amigos e familiares. Até quando Dilma?

A fim de reduzir o elevado déficit previdenciário, o governo articula um conjunto de normas para limitar os critérios de concessão de pensões por morte no Brasil – Ponto. Conjecturando-se, poder-se-ia concluir que: Estando a Segurança Pública no Brasil entregue às baratas, há um aumento significativo dos casos de pensão por morte. Da mesma forma a Saúde Pública no Brasil está falida e em pouco tempo os futuros ex-pensionistas por morte também estarão mortos – Ponto.  Tem-se então o Teorema de Jatiacy que afirma: Sendo a linha do tempo um fato inexorável, o descaso contínuo dos governantes nas áreas de Saúde e de Segurança Pública é necessário e suficiente para um perfeito equilíbrio previdenciário.  Concluímos a partir deste Teorema que: No Brasil quando não morremos de “morte matada” em função de uma Segurança Pública deficiente, morremos de “morte morrida” em função de uma Saúde Pública inexistente…

Primeiro erro: A invasão das 13 favelas do Complexo do Alemão teria ocorrido 18 meses antes do previsto. Ela deveria ter ocorrido dezoito anos atrás.  Segundo erro: A estratégia foi planejada apenas para os traficantes.  Como ficam os milhares de usuários que mantinham o tráfico? Não me digam que a estratégia é que eles parem de usar drogas como que por encanto?  Certo é que os traficantes só subsistiram até hoje por vários motivos: A inércia do governo, a corrupção na polícia, a conivência de moradores das favelas e a grande e variada clientela que encontraram pela frente.

Sugiro consulta pública, referendo, plebiscito ou pedido de emenda à constituição ou o que o valha para que sejam nomeados e empossados como Executivos da Segurança Pública Nacional os Senhores Carlos Roberto Massa (Ratinho), Afanásio Jazadji e Conte Lopes.  Essa tríade, decerto, colocaria a Segurança Pública novamente nos trilhos.  Em uma semana a bandidagem sentiria na pele o significado da frase tolerância zero.

Se colar… Colou! A maior carga tributária, o maior valor cobrado de pedágio nas estradas, a maior tarifa de telefonia móvel.  O pior sistema de saúde, de educação e de segurança.   É a famosa política do se colar… Colou.  Certo que o Brasil tem um povo ordeiro, mas os governantes acham que é um povo cordeiro.  Um pedágio de R$ 18,50 só porque é caminho para a praia para milhares de paulistanos é a prova de que o lobo não é bobo.  Mas um dia o chafardel vai ter que balir.  Antes tarde do que nunca.

13 assassinatos na Baixada Santista nos últimos dias, nota do Governo Americano alertando aos turistas sobre o perigo naquela área e o Secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo rebate e diz que está tudo sob controle.  A Dilma Roussef disse que setenta e oito por cento da verba do Ministério da Justiça vai para a Segurança Pública.  O Vice-Presidente é vitima de uma tentativa de golpe de falso seqüestro. O problema é que há muito tempo a Segurança Pública no Brasil está sob o controle dos bandidos e não dos mocinhos.